Kruder & Dorfmeister

AT

São uma das duplas mais reputadas da década de 1990. Peter Kruder e Richard Dorfmeister definiram um estilo que começou por ser uma derivação do trip hop, com reforços de dub, mas acabou por ganhar vida e densidade próprias, enriquecido com algumas influências mais melancólicas da música dos anos 1960 e 1970, do afro-jazz aos Pink Floyd, passando pela bossa nova, entre muitas e muitos outras.

 

Na época, Viena era uma metrópole do aspirante a movimento techno, mas a dupla Kruder & Dorfmeister preferiu a tradição da “pista de dança” continental dos anos 80, que procurava uma linguagem universal da dance music, influenciada pelo groove, hip hop, dub, new wave e por último mas não menos importante, por outros universos musicais bem distantes de todos estes.

K&D são portanto os padrinhos de um estilo musical muito próprio e inovador. Um estilo que se define no álbum do DJ Kicks e na sua obra-prima, The K & D Sessions, que vendeu mais de um milhão de cópias em todo o mundo e se tornou uma coleção de culto.

 

K&D mantêm até hoje um conceito aberto, influenciado por um amplo paladar musical e pela sua capacidade de ouvir música, de sentir e de serem capazes de realizar as suas próprias concepções musicais. Uma compreensão que é inclusiva e perpetuamente visionária.

25 anos após o seu primeiro lançamento G-Stoned - o primeiro EP clássico, que se tornou lendário, a dupla K & D celebra o seu aniversário com um conjunto audiovisual de 3 horas muito especial. Os visuais são produzidos e executados pela “lichterloh tv” - uma sofisticada equipa de produção visual de Viena.


 

PRESS
 

“Quando se afirmaram globalmente, em meados da década de 1990, os Kruder & Dorfmeister foram logo conotados com uma certa elegância e requinte, impondo uma música perfumada por linhas de baixo redondas, ritmos vaporosos e horizontes urbanos feitos de alguma melancolia, num todo inspirado em linguagens como o dub, o hip-hop, o deep-house ou o jazz. Durante anos, a marca K&D produziu algumas das melhores remisturas da história da pop (em parte agrupadas no álbum The K&D Sessions, de 1998) e alimentou os sonhos daqueles que ansiavam pela possibilidade de ouvir um álbum de originais da dupla.”

Vitor Balenciano in Ipsilon

 

“Kruder & Dorfmeister, K&D, a sigla mais famosa dos anos 90, a dupla que gostava de brincar a Simon and Garfunkel nas capas dos discos e fazia música com alto teor narcótico e poder aditivo. Peter Kruder e Richard Dorfmeister colocaram Viena no mapa e tornaram cidade e país relevantes (...)  O toque mágico de K&D foi exercido sobretudo em remisturas, algumas das mais significativas reunidas nas, agora míticas, K&D Sessions. O disco, duplo em cd, quádruplo em vinil, saiu há precisamente 20 anos com revisões de originais de Depeche Mode, Lamb ou Rockers HiFi e deixou marcas profundas.”

Isilda Sanches