Ilhan Ersahin

EUA / TUR

O saxofonista sueco-turco de Nova York, Ilhan Fredrik Ersahin, não é apenas um músico e compositor eclético, mas também o fundador do clube Nublu em Nova York e a recém-iniciada Nublu Records. Ilhan compôs para Norah Jones, Bebel Gilberto, U-Roy e suas outras bandas incluem Wax Poetic, Love Trio, entre outros.

 

Com os mesmos sons alternativos que este clube vem cultivando há mais de uma década, o projeto Istanbul Sessions, criado em 2008,  é uma combinação das influências musicais de Ilhan, entre Nova York e Istambul (escalas turcas, batidas de clubes noturnos e improvisações de jazz). A energia eclética de Istambul de uma maneira única, combinando elementos de jazz, rock e dance music. 

 

No seu mais recente  lançado pela Nublu Records com o título “Solar Plexus”, os membros principais - baixista Alp Ersonmez, percussionista Izzet Kizil, baterista Turgut Alp Bekoglu - juntam-se a um conjunto de ilustres convidados, que ampliam texturas e criam paisagens sonoras emocionantes.  O álbum foi produzido por Dave Harrington e Ilhan Ersahin e inclui magnificas participações de Erik Truffaz, Dave Harrington, Nils Peter Molvaer, Arto Tuncboyaciyan e Kenny Wollesen.

 

Ao vivo as Istanbul Sessions são uma profunda experiência sonora, entre humores, vibrações e texturas, quase como um transe que é tocado ao vivo, mas que nos remete para a pista de dança, entre batidas e cores que vão e vêm numa levada irresistível que nos prende do início ao fim do concerto (1, 2 ou 3 horas depois).

PRESS:

“…a highly distinctive new sound that connects the dense modal funk of Miles Davis’ Agartha group with the dervish whirl of Turkish and middle-eastern melodies and spikes it with a potent shot of dub electronics.”

In Jazzwise Magazine

 

“Hear this! Jazz has changed form”

In Le Monde

“The music of Istanbul Sessions is formidable renewal of today’s jazz. Can we call it jazz? Yes, This music performed with the energy of rock sound where you can find many influences like Miles Davis of 70’s or turkish percussions. They are good representative of 2010’s jazz: open to the world, passionate and fascinating.”

Patrick Duval, director of Musiques de Nuit