Gyedu-Blay Ambolley and his Sekondi Band

GH

Natural do Gana, Gyedu-Blay Ambolley é reconhecido como um génio da música Africana e sempre se apresentou ao mundo como crítico à corrupção, desigualdade e ao neo-colonialismo, com uma mentalidade pan-Africana. 

 

Gyedu-Blay Ambolley, conhecido em Gana como o Simigwahene ("O Rei de Simigwa-Highlife"), é por vezes também apelidado de "James Brown de Gana". E não é por acaso!  No panorama musical, explodiu na década de 70 com o “Simigwa-Do”: um tema musical que funde o afrobeat com o funk e o jazz. A partir da década de 80, instrumentos electrónicos ganharam um maior peso nas suas experiências musicais. O resultado foi uma mistura impressionante do Highlife e do Funk com sons vanguardistas provenientes dos sintetizadores e das vozes conscientes. A nova música de um inquieto génio empurrou os limites do Highlife para uma nova era. 

 

Gyedu-Blay Ambolley começou a sua carreira musical nos anos sessenta na Uhuru Dance Band, e aprendeu música com artistas proeminentes como Ebo Taylor, com quem ele fundou The Apagya Show Band em 1974. Agora, depois de mais de 40 anos e 30 álbuns, Gyedu-Blay Ambolley é também ele uma lenda viva. ‘SIMIGWA’ foi um dos álbuns mais inovadores do músico ganês, lançado pela editora Essiebons (1978).  A Analog Africa lançou recentemente um vinil de 12” de Gyedu-Blay Ambolley contendo quatro faixas da Afrofunk de Gyedu-Blay Ambolley, incluindo sua faixa altamente afro-dramática“ The Message ”,

 

Gyedu-Blay Ambolley recebeu, ao longo da sua carreira, vários prémios de prestígio, como por exemplo o “Lifetime Achievement” no Ghana Music Awards, em 2013; o “Lifetime Achievement” pela Universidade de Medicina Charles R. Drew e Ciência na Califórnia e, ainda, um prémio pelo Estado da Califórnia por colmatar a lacuna entre África e a música Afro-americana. 

 

Esteve pela primeira vez em Portugal no início de 2019 com a sua SEKONDI BAND para um concerto arrebatador que ficou gravado na memória de todos como um concerto histórico, um momento único, de uma energia contagiante e de puro amor pela sua arte. 



PRESS

 

Ouvir entrevista à rádio Oxigénio aqui

 

“Foi uma estreia concisa e bem sucedida. Fica a sensação de que o público aguentaria mais duas horas, em gigantescas e frenéticas danças. É imprescindível que existam mais dias tão contentes e libertadores como este, por 2019 afora. Por mais dias como este. Por mais Gyedu-Blay Ambolley em Portugal.”

Alexzandra Souza in Punch Magazine

 

“Another personal favorite is Gyedu Blay Ambolley "Simigwado", a strange tune built on a funky vamp that veers into spoken word passages (I'm not sure of the language) where Ambolley's flow picks up the rhythmic momentum and becomes the song's primary driving force.”

Joe Tangari in Pitchfork

 

“Ambolley is the quintessence of the cliché about fine wine getting better with time. I can swear the legend has vampire blood running down his veins. Pictures I stumbled upon whilst looking him up prove he is indeed growing younger.”

Philip Edusei in unorthodoxreviews