Fausto Bordalo Dias

PT

“ Eu Pego na minha viola e canto assim esta vida a correr”
Fausto Bordalo Dias in Atrás dos Tempos Vêm Tempos

Fausto Bordalo Dias destaca-se ao longo da sua carreira pela sagacidade com que sempre abordou a música. Com base no desenvolvimento e estilização da rítmica tradicional portuguesa, a que sempre juntou uma escrita poética e muito cuidada. O percurso de Fausto é único no universo musical português e o seu legado na música popular portuguesa é altamente próspero e diversificado.

Autor de 14 discos, gravados entre 1970 e 2011 (onze de originais, duas compilações e um disco ao vivo), “Fausto compõe cada álbum de originais como quem conta uma história, da primeira à última canção.” (jornalista e crítico Viriato Teles). As suas canções são cinemáticas, traduzem encenações rigorosas, ressaltam como fotografias ou como enormes frescos, sendo ao mesmo tempo oníricas e cruas, populares e sofisticadas. “Dizem os seus admiradores que cada um dos seus discos devia ser escutado ‘de guião em punho’, como quem vai à ópera.” (Idem).


Ouvir Fausto é sempre um prazer e uma surpresa, já que os seus concertos, tal como a sua obra, estão em permanente renovação.

Em Busca das Montanhas Azuis, o seu último álbum, atingiu o primeiro lugar do top nacional de vendas em Portugal, e em menos de um mês, o registo atingiu a distinta marca de Ouro.

 

DISCOGRAFIA


Álbuns Originais
P'ró Que Der e Vier (1974)
Beco com saída (1975)
Madrugada dos Trapeiros (1977)
Histórias de Viajeiros (1979)
Por Este Rio Acima (1982)
O despertar dos alquimistas (1985)
Para além das cordilheiras (1987)
A preto e branco (1988)
Crónicas da terra ardente (1994)
A Ópera Mágica do Cantor Maldito (2003)
Em Busca das Montanhas Azuis (2011)
 
Colectâneas
Atrás dos Tempos Vêm Tempos (1996)
Grande Grande É a Viagem (ao vivo) (1999)
18 canções de amor e mais uma de ressentido protesto (2007)

 

PRESS

"É um dos grandes discos do ano, e sem receio de erro, da década”
Nuno Pacheco (Público) sobre o álbum "Em Busca das Montanhas Azuis"

"É uma obra-prima da música popular portuguesa" 
Pedro Dias Almeida (Visão)