Derek Gripper

USA

Guitarrista clássico, compositor, arranjador e performer, Derek Gripper iniciou a sua formação musical aos 6 anos de idade, com o violino como seu primeiro instrumento. Após treze anos de estudo de música clássica na Cidade do Cabo, Derek partiu em busca de inspiração musical além fronteiras, concretamente no sul da Índia, estudando Música Carnática, característica da região. De regresso a casa, dedicou-se à procura de novas sonoridades para o seu instrumento, um desafio que parecia intangível, mas finalmente o sul-africano Derek Gripper conseguiu transformar para sempre a abordagem à guitarra clássica: com a sua invejável mestria técnica, espírito aventureiro e apostas certeiras, Gripper adaptou as seis cordas da clássica ao vasto e rico repertório africano de kora (harpa mandinga de 21 cordas) de outros de virtuosos instrumentistas como Toumani Diabaté, Ballaké Sissoko e Ali Farka Touré.


O feito colocou Gripper na ribalta dos cenários da música africana e ocidental ditas eruditas, conquistou público e crítica mundiais e conquistou também os próprios músicos malianos, cujas composições adaptou, tendo iniciado 2016 com uma residência artística e alguns concertos no Mali, a convite daquele que é talvez o nome mais respeitado da música do país, Toumani Diabaté. 


Tendo lançado inúmeros álbuns com repertório que vai da música erudita (nomeadamente interpretações de Bach) ao do Egberto Gismonti a peças autorais, foi em 2012 que Derek Gripper mergulhou nesta adaptação do cancioneiro maliano, com o disco One Night on Earth: Music from the Strings of Mali. Em 2016 regressa a esta aventura, com o disco Libraries on Fire.

 

 

PRESS


“Five stars…Gripper has brilliantly transferred [the kora] repertoire onto a regular six string guitar. He sees [Toumani] Diabaté as the Segovia, or indeed John Williams, of the kora, championing it as a solo instrument. And Gripper brilliantly takes it back to the guitar. He’s opening a whole new repertoire of classical guitar music…bringing African guitar into the classical mainstream.” 
Simon Broughton in Evening Standard

“Gripper has cracked it…his playing has a depthless beauty, which does full justice to the complexity of Toumani’s compositions. To do so without any hint of the music being dumbed down is a staggering achievement on solo guitar.”  
Nigel Williamson in Songlines.