Collignon

NL

Uma vida passada na estrada proporcionou inspiração infinita a Jori Collignon.

Após quinze anos a cruzar o mundo com bandas como SKIP&DIE, Nobody Beats The Drum, e C-Mon & Kypski, o produtor holandês assentou arraiais numa casa em Palmela, com residências, jardim e estúdio, e transformou-a num lugar de actividade e criatividade por onde passam artistas diversos, que deixam as suas estórias e ideias. 


Aqui aprofundou e expandiu o seu som, vertendo a vasta experiência musical e viajante em oito ricas, diversas e coloridas faixas que são o seu primeiro álbum em nome próprio, cujo lançamento ocorre a 30 de Outubro de 2020.

 "Continuo a viajar pela música", diz, oferecendo uma mistura natural de instrumentação acústica e electrónica, num equilíbrio dançante entre instrumentos tradicionais e temas futuristas, influenciado por música sul-americana, africana e árabe. É música instrumental, para que os temas e ambientes que cria falem por si: “existem tantas vozes em todos os lugares, tanta conversa...”, explica. 

Este balanço dinâmico é a base do seu novo espectáculo, um affair sonoro e solto entre amplificadores de guitarra de goela aberta, percussão, sintetizadores e improvisação ao vivo, levando som e composição a novos níveis. Acompanhado pelo multi-instrumentista Gino Bombrini (SKIP&DIE), arrebata, apaixona, liberta.

Collignon pode ter encontrado um lar, mas sua música continua a voar.

 

PRESS

“Mais tarde, COLLIGNON surpreende o palco 'Bolkokers' (talvez a sala mais ‘cool’ da fábrica) com sons electrónicos influenciados pela música sul-americana, africana e árabe."

3voor12, Groningen
 
“A maior surpresa da noite foi COLLIGNON. A performance apaixonada da dupla Jori Collignon e Gino Bombrini (com quem Collignon já colaborou em SKIP & DIE) garantiu que nenhum visitante pudesse ficar parado."

3voor12, Utrecht
 
"Collignon tem uma história de grandes bandas em seu nome. Tocou com SKIP & DIE, C-mon & Kypski e Nobody Beats The Drum. Todos esses anos deram ao músico a inspiração necessária para que conseguisse misturar todos esses cheiros, sons e imagens, como ingredientes de um prato exótico, no seu novo projeto. Ao vivo, Collignon divide o palco com o multi-instrumentista Gino Bombrini, que sabe como obter os sons mais irresistíveis de praticamente todos os instrumentos que lhe são dados.”
The Daily Indie