Anthony Joseph

  • YouTube - Black Circle

TRI/UK

Anthony Joseph é poeta, romancista, músico e professor. É descrito como “o líder da vanguarda negra na Grã-Bretanha”. A sua obra ocupa um espaço entre o surrealismo, o jazz e os ritmos do discurso e da música das Caraíbas. Na escrita, as grandes influências passam por autores como Allen Ginsberg, Derek Walcott, André Breton ou Ted Jones, entre outros.

Nascido em Trinidad y Tobago, Anthony Joseph encontrou em Inglaterra o lugar de reconhecimento da sua carreira de escritor, leccionando em diversas instituições universitárias e recebendo várias distinções pela sua contribuição para a literatura inglesa contemporânea.





Autor de cinco antologías poéticas (Desafinado, 1994, Teragaton, 1997, Bird Head Son, 2009 e Rubber Orchestras, 2011) e de cinco discos (Leggo de Lion, 2007, Bird Head Son, 2009, Rubber Orchestras, 2011, Live in Bremen, 2013 e Time, 2014), Joseph consolidou a sua carreira nessa relação íntima entre a música e a escrita que se reflecte, por exemplo, na coincidência dos títulos e das datas de publicação do seu trabalho literário e musical.”

“Caribbean Roots” (2016), é o álbum que representa um regresso às origens de Trinidad e à sua identidade Caribenha, incorporando ritmos e sonoridades que transportam a energia vibrante daquela região.

"People of the sun" o seu último disco, editado em 2018, editado pela Heavenly Sweetness, é o seu sexto álbum de estúdio, e revela-se como mais uma bonita homenagem às suas raízes. Grava na sua Ilha natal, Trinidade, é a confirmação de como a música caribenha influencia fortemente a música de Anthony desde a sua criação. Este álbum é uma homenagem ao Porto de Espanha (POS), este porto vibrante, ponto de encontro de muitas culturas e uma porta aberta na América do Sul. Esta energia está patente em todo o álbum. "People of the sun" conta com a participação de muitos dos artistas mais conceituados da ilha de Trinidade (3 channel, Brother Resistance, Ella Andal, Boogsie the king of steel pan, entre outros) e presta homenagem ao Rapso, uma mistura de poesia de protesto e Soca / Calypso criada nos anos 80. Como é habitual na música de Anthony Joseph, a palavra permanece no centro das atenções.

PRESS

“Afro-blue to astro-black and what glimmers in between”

The Times


“One of the most talented and engaging purveyors of the music right now”

Mojo